Saúde Mental no trabalho: 5 dicas para startups e empresas!

Texto enviado por Guia da Alma, uma Plataforma de Terapias Holísticas que oferece agendamento online com terapeutas certificados

É possível atingir metas e resultados na sua empresa e startup, e ao mesmo tempo manter a saúde mental no trabalho?

Trago boas-novas: é possível sim!

Descubra agora com as nossas 5 dicas e tendências que sua empresa pode adotar na rotina!

Antes, vamos revisar alguns dados sobre a saúde mental no trabalho no Brasil e no mundo, e porque a sua empresa e startup precisa dar importância para esta questão agora mesmo!

Saúde mental no Brasil e no mundo: dados

Transtornos relacionados a Saúde Mental se tornaram problema de saúde pública neste século. Segundo a OMS:

  • 322 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo (4,4% da população mundial). O Brasil é o segundo país mais depressivo da América Latina, ficando apenas atrás dos Estados Unidos. São 11,5 milhões de brasileiros (5,8% da população).
  • 264 milhões de pessoas possuem transtornos de ansiedade no mundo (3,7% da população planetária). O Brasil é o país mais ansioso do mundo: 18,6 milhões de brasileiros sofrem de ansiedade (9,3% da população).

A Sociedade Brasileira de Cardiologia revelou que em 2019 foram 200 mil pessoas que morreram no país em decorrência de doenças cardiovasculares, sendo o estresse apontado como uma das principais causas.

As estimativas do Fórum Econômico Mundial é de que os gastos relacionados a transtornos emocionais e mentais mundiais podem chegar a 6 trilhões de dólares até 2030.

Saúde Mental no Trabalho: dados e principais desafios

Levando em conta estas métricas e olhando para elas dentro do âmbito empresarial, os dados não são menos alarmantes:

Em 2016, mais de 75 mil trabalhadores foram afastados de seus cargos por conta de quadros depressivos (dados da Previdência Social).

Segundo pesquisa do ISMA (International Stress Management Association) de 2019, 72% dos brasileiros que estão no mercado de trabalho sofrem alguma sequela causada pelo estresse. Desse número, 32% sofrem de burnout (esgotamento) e continuam trabalhando por medo de serem despedidas.

A mesma pesquisa também revelou que 9 em cada 10 brasileiros no mercado de trabalho apresentam sintomas de ansiedade, e 47% deles sofrem depressão em algum nível.

O Ministério da Previdência Social também apontou que os transtornos mentais e emocionais já são a segunda maior causa de afastamento do trabalho. E que nos últimos 10 anos aumentaram em 20 vezes as concessões de auxílio-doença relacionadas a saúde mental, que com frequência afastam o colaborador por mais de 100 dias.

É por isso que, atualmente, os principais desafios de grande parte das empresas têm sido com gastos relacionados à saúde mental dos colaboradores, que frequentemente estão associadas a:

  • Sinistralidade;
  • Turnover e
  • Absenteísmo.

Até mesmo com casos de Desengajamento e Presenteísmo, pois segundo o ISMA, no Brasil, 74% das pessoas não estão engajadas no trabalho porque não estão felizes.

Depois de todos estes dados você deve estar se perguntando “Por onde começar?”.

Respira! Antes de tudo, vamos entender:

O que é Saúde Mental?

Para começar a cuidar da saúde mental (seja da sua ou da empresa), é importante entender seu conceito!

“Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a mera ausência de doença ou enfermidade”. OMS

Esta definição nos faz perceber que a saúde deve ser cuidada em todos os seus aspectos, de maneira holística, pois uma coisa está interligada à outra.

Exemplo: uma problema no trabalho pode desencadear diversas reações em nosso corpo, como: estresse, ansiedade, insônia, diminuição da autoconfiança, dores de cabeça e nos ombros, piora no humor, confusão mental, sensação de incapacidade e esgotamento, entre outras.

Você já teve alguma destas sensações no trabalho? Só neste exemplo, já podemos reparar que a saúde emocional, mental e corporal foram afetadas.

Na vida (seja pessoal ou profissional), a melhor maneira de lidarmos com as adversidades é fortalecendo nossa inteligência emocional e saúde mental.

A saúde deve ser cuidada de maneira preventiva, e não apenas em caso de desordens. O mesmo vale para a saúde mental: não é preciso chegar a uma crise para cuidar da mente.

Para a OMS, saúde mental é um termo usado para descrever o nível de qualidade de vida cognitiva e emocional, e vai além da ausência de transtornos mentais. É a capacidade de um indivíduo de apreciar a vida e procurar um equilíbrio entre as atividades internas e externas, para atingir a resiliência.

Uma boa saúde mental permite que o colaborador faça uso de suas habilidades de maneira produtiva. E também saiba como lidar melhor com os momentos de estresse do dia a dia e com a quantidade de informação que acessamos!

Segundo pesquisa da OMS, a cada 1 euro investido em saúde mental, equivale ao retorno de quatro euros.

Ou seja, investindo na saúde da sua empresa, você melhora o desempenho e a saúde física-mental-emocional de seus colaboradores, criando um time mais engajado, feliz, saudável e satisfeito!

Como cuidar da saúde mental da empresa? 5 dicas de Saúde Mental no Trabalho para startups e empresas!

Vamos conhecer agora 5 alternativas de saúde mental no trabalho que você pode implementar de maneira simples e eficaz na sua startup e empresa!

1. Criar um ambiente de trabalho saudável

Ambientes tóxicos tendem a desestimular os colaboradores e, consequentemente, diminuir os resultados de uma empresa.

Ansiedade, estresse, depressão, erros, desilusões… Todos enfrentamos algum desafio no trabalho e na vida pessoal. O que muda é a maneira como lidamos com essas situações!

Brené Brown é Phd, escritora e uma das palestrantes mais assistidas do TED. Ela pesquisa há mais de 15 anos como reagimos à coragem, vulnerabilidade, vergonha e empatia. Confira Brené Brown e outras dicas de filmes para empreendedores.

Perceba como empresários, colaboradores e as pessoas em geral não usam todo seu potencial por medo de serem imperfeitas e julgadas.

A maioria das pessoas têm medo de se colocar em situações de vulnerabilidade, mas isso apenas causa sofrimento interno e uma falsa percepção sobre nós mesmos e sobre os outros.

Por exemplo: ao invés de sofrer com pensamentos como “será que meu trabalho está sendo satisfatório?”, um ato de vulnerabilidade, porém coragem e inteligência emocional, seria pedir um feedback e, mesmo tendo que enfrentar algumas críticas, usar elas como um direcionamento para melhorar ainda mais o trabalho desenvolvido, sem levar para o lado pessoal.

Quando criamos um ambiente empresarial inovador, acolhedor e aberto, as pessoas se sentem mais confortáveis, estimuladas e seguras para compartilhar suas ideias, momentos e opiniões. E a empresa só tem a ganhar com isso!

Uma maneira de aplicar isso na sua empresa é usar ferramentas de feedback, encontros com dinâmicas de criatividade, palestras sobre saúde mental.

Ler Anterior

Fintechs de crédito: entenda o que são e como elas funcionam

Ler o Próximo

10 documentários e filmes para empreendedores sobre Saúde Mental

Deixe Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *