Design Thinking e metodologia ágil são coisas do passado?

Nos últimos anos diversas abordagens diferenciadas foram surgindo e tornando-se reconhecidas dentre as empresas. Além disso, elas foram sendo utilizadas em processos de inovação na busca de trazer diferenciação. Alguns desses conceitos são o Design Thinking, e Agile.

Mas o tempo foi passando e a dúvida que fica é se elas estão se tornando ultrapassadas, como também se há aplicabilidade ainda para esse tipo de prática nos dias de hoje. Antes de abordarmos essa questão com mais profundidade, é importante explicar o que é cada: Design Thinking e Agile.

Bom, vamos lá!

Design Thinking

O Design Thinking nada mais é do que trazer o olhar do designer que é composto por um pensamento mais abrangente, observando as necessidades do cliente,. Além disso, o potencial criativo e a empatia também fazem parte de todo o processo.

Portanto, o intuito é refletir sobre soluções, que além de serem criativas e inovadoras, acessem o cerne do problema. Ou seja, o cliente fica no centro do processo.

Assim, um dos pilares é sempre estar atento e escutar o que o seu consumidor tem a dizer. São comuns sessões de brainstorm com as pessoas que estejam de alguma forma ligadas ao problema que será solucionado. Além disso, entrevistas para entender a opinião dos consumidores também fazem parte do Design Thinking.

O Design Thinking está ultrapassado?

Antes de respondermos essa questão, é preciso entender um pouco mais do contexto. Antigamente, há mais de 10 anos, as empresas não olhavam tanto para o cliente. Muitas vezes, escutar o consumidor não estava no processo. As empresas formulavam muitos produtos ou soluções com base no que elas achavam que seria benéfico para o seu público.

Porém, as coisas foram mudando. O consumidor ganhou voz com as transformações digitais. As redes sociais deram visibilidade a essas pessoas e o jogo virou. Além disso, sites como o Reclame Aqui também mostram o quanto o cliente foi ganhando espaço.

Assim, o poder da avaliação do cliente e como a marca se posicionava tanto digitalmente quanto num ponto físico foram mudando. Afinal, tudo é digital. Então, se um cliente não gostou de um atendimento em um Ponto de Venda, ele tem liberdade para postar sua experiência no Reclame Aqui, avaliar no Google, postar nas redes sociais e denegrir a imagem da marca verbalmente.

O Design Thinking surgiu para trazer essa mentalidade de colocar o cliente no centro do processo e entendê-lo para assim trazer soluções mais compatíveis à necessidade dele.Podendo ser utilizado tanto para melhorar uma Central de Atendimento quanto para criar um produto novo.

No entanto, agora respondendo a pergunta, grande parte das empresas já começou a utilizar o Design Thinking em seus processos. Ou seja, ele já não é mais uma novidade e, sim, uma necessidade. O consumidor mudou e a abordagem também. Por isso se formos pensar o Design Thinking pode ser, sim, considerado antiquado. Afinal, essa mentalidade já deve estar inserida em todo o contexto da empresa e não é mais uma opção se você deve ou não praticar essa abordagem.

O mesmo acontece com inserir a sua empresa no meio digital. Se você tem um restaurante, por exemplo, deve saber inserir ele no contexto online. Criando um site, disponibilizando sua localização no Google Maps e aumentando sua área de atuação por meio de aplicativos como Rappi e Ifood.

Metodologia Ágil ou Agile

A metodologia Ágil é um tipo de processo que ajuda o time envolvido a dar respostas rápidas aos feedbacks que são gerados durante um projeto. Criando, assim, oportunidades para determinar o direcionamento do “job” durante um ciclo.

Dessa forma, a equipe faz reuniões com determinada regularidade, que são conhecidas como sprints ou iterações.

Portanto, o grande objetivo dessa proposta é trazer dinamismo, rapidez e foco para se chegar com mais precisão no resultado esperado. É usado constantemente em processos de inovação, elaboração de novos produtos ou em empresas que buscam rapidez e agilidade.

A metodologia ágil traz muito da mentalidade do Design Thinking. Ela surgiu em 2001 quando um grupo de pessoas estava cansado da forma tradicional de liderar projetos de software. Assim surgiu o manifesto ágil.

Os quatro valores do manifesto ágil

  1. É preciso focar mais nos indivíduos e nas interações do que nas ferramentas e processos.
  2. O software de trabalho tem mais importância do que documentação abrangente.
  3. Colaborar com o cliente é mais essencial do que a parte de negociação dos contratos.
  4. A mudança deve ser o norte para o processo em vez do plano.

Os princípios da metodologia ágil

Abaixo, você confere alguns dos princípios da metodologia ágil

  1. Proporcione a satisfação do cliente por  meio de um produto que tenha seu valor contínuo.
  2. Sempre aceite que a mudança de requisitos importa.
  3. Faça conversas presenciais para transferir a informação
  4. O método ágil tem como intuito promover o desenvolvimento sustentável
  5. Lembre-se que a simplicidade é essencial para uma gestão ágil que seja eficiente.

A metodologia ágil está ultrapassada?

A resposta para essa pergunta vem na mesma linha da outra. O mundo mudou e as formas de encarar os problemas e de se trabalhar também mudou. Ser ágil não é mais uma opção e, sim, uma necessidade. O que temos que levar em conta é que novas formas de pensamento, de abordagens e de execução estão surgindo. Você deve estar atento a essas novas formas de se trabalhar e pensar.
Eventos como o SXSW, maior evento de inovação do mundo, é um exemplo disso. Você deve estar atento ao que é evidenciado e discutido por lá como em outros eventos ao redor do mundo e do Brasil. Você não deve ficar parado e, sim, buscar conhecimento e entender o que pode ser feito além de ser ágil. Ser ágil não é mais uma opção e, sim, uma necessidade.

Design Thinking: a inovação colaborativa e criativa

Aprenda sobre o Design Thinking desde a teoria até a prática e veja como aplicar a metodologia na cultura da sua empresa. O e-book foi pensado na experiência de imersão de todas as fases do método Double Diamond, em que cada capítulo é uma fase do processo.

Este ebook foi desenvolvido pela CINQ, em parceria com o Distrito, em um formato de leitura não convencional. Preparamos este material pensando em uma experiência de imersão por todas as fases do Double Diamond. Você poderá transitar entre as páginas, consultando as dicas e exemplos citados, além de consultar tópicos específicos.

Ler Anterior

Pessoas estão sendo substituídas por máquinas? 3 razões para não acreditar nesse mito

Ler o Próximo

Fintechs: quem está transformando o mercado financeiro?

Deixe Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *